26/09/2007 13:53

Coronel Sapucaia: Entrevista com o prefeito Ney Kuasne

A Gazeta: O PR se fortaleceu com essa reunião realizada sexta-feira?

 Ney:  Avaliamos que essa reunião do PR, é o começo  de um projeto para continuar a administração que tem compromisso com a população, que confiou o mandato conosco. A política é passageira, mas para se manter nela, temos que trabalhar para merecer o voto de confiança da população. O povo tem que aprovar o mandato, o trabalho de cada um.
 

A Gazeta:O que o sr. considera de mais importante realizado nessa sua gestão? 
 
Ney:Todo mundo sabe, principalmente aqui de Coronel Sapucaia, que pegamos um município quebrado, desmoronado, não tinha nada para dar para as pessoas, não tinha crédito. Mas nós, devagar, aos poucos, conseguimos trabalhar e resgatar a dignidade, para colocar Sapucaia junto com as cidades que estão crescendo. Estamos colocando as coisas nos seus devidos lugares; não fizemos tudo,  falta 50% para ser feito, eu acredito, mas estamos trabalhando gradativamente; os benefícios estão vindo, os deputados estaduais, federais e o governador têm ajudado para que Coronel Sapucaia resgate sua alegria.
 

A Gazeta:E como estão as contas da prefeitura?
 
Ney:Desde o começo fizemos com que Coronel Sapucaia saldasse seus compromissos dentro do mês, e isso vem sendo feito desde o início, após os três primeiros meses, quando tivemos dificuldades para adequar. Mas estabilizamos as coisas, e hoje podemos falar com  muita grandeza, que Coronel Sapucaia, com referência a salários e fornecedores, está rigorosamente em dia, e também com todas as pendências que o município tinha com a justiça, credores, certidões, trabalhistas, FGTS,  enfim.... Todo mundo sabe que a burocracia é grande, o município precisa estar em dia, estar adimplente para receber recursos. E isso é uma coisa que a gente cuida. É igual a um coração: se não cuidar do coração, o cidadão morre. Então nós cuidamos muito bem disso para que o município fique em dia e tenha credibilidade.
 

A Gazeta: E a saúde e a educação? 
 
Ney: Na educação, destaco entre outras coisas que fazemos, o salário dos professores, o transporte escolar, as estruturas físicas das escolas, enfim, destaco a merenda escolar. Aqui nós damos merenda de primeira qualidade, produtos de primeira qualidade, nossos alunos se alimentam bem. As pessoas dizem: merenda aqui não é merenda, é um almoço e uma janta; tratamos bem nossos alunos. O dinheiro que  vem, investimos na qualidade de vida dos nossos alunos. Nosso material é de primeira qualidade; vem para investirmos, 23%, mas  investimos 40% no aluno, quase que o dobro. Os alunos estão satisfeitos, sentem-se gratificados. E 60% investimos nos professores; não mexemos no salário dos nossos professores, e a sobra desses recursos que não podemos gastar em outra despesa, fazemos essa partilha entre os professores. Em 2 anos e meio, já fizemos a distribuição com os professores de cerca de 1 milhão e 600 mil reais. Então, é um recurso que valoriza o nosso profissional. Na outra administração, esses rateios não eram feitos, não sabemos como faziam. Mas hoje fazemos essa distribuição que é lei, e os professores estão satisfeitos com o trabalho da administração e isso melhora a qualidade do ensino.
 

A Gazeta : E a saúde?
 
Ney:Acho que todo mundo sabe como funcona a saúde no Brasil, mas aqui enfrentamos o problema, fazemos de tudo para melhorar. Coronel Sapucaia tem hoje 5 ambulâncias andando 24 horas para outras cidades, centros maiores, para onde for preciso levar o paciente. Para salvar uma vida, não medimos esforços. Na outra administração os pacientes tinham que ajudar com combustível e hoje é de graça, ninguém paga nada. Pelo contrário, às vezes até o almoço e janta o município paga, principalmente para aquelas pessoas mais carentes. No hospital e postos de saúde não faltam remédios. Temos 4 médicos e antes só tinha um, temos 3 enfermeiros-padrão e antes não tinha nenhum, nossa farmácia do hospital, dos postos de saúde têm remédios, quando não têm, a Prefeitura, através da Assistência Social banca o remédio para o cidadão carente. Agora estamos reformando o hospital e vêm 300 mil em recursos para equipamentos; precisava de 1 milhão, mas vamos investir esse recurso, que é de emenda de bancada, através do governo do Estado, então vamos reequipar o hospital. Estamos investindo nesse setor, para melhorar a vida da população.
 

A Gazeta: O que podemos esperar nesse último ano de administração?
 
Ney:Anteontem (quarta, dia 19) assinamos o PAC em Brasília. Vão ser investidos 3 milhões de reais,  em esgotamento e saneamento. O município vai ficar 100% atendido nessa área, não teremos problemas com esgoto e água potável. Também fora do PAC, temos 130 casas populares com que o município foi contemplado; é um investimento daquele projeto solidário do Governo Federal; são 100 casas, mais uma emenda de bancada para mais 30. Temos um novo loteamento que estamos lançando e serão construídas mais casas. Então são benefícios para a nossa população. Corremos atrás e vamos continuar trabalhando para melhorar a vida da nossa população. Além disso encaminhamos agora vários projetos aos ministérios em Brasília, que totalizam quase R$ 12 milhões. Sabemos que não sai tudo, mas nós temos que lutar, tentar, acredito que uns R$ 6 milhões serão liberados para Coronel Sapucaia até o final do ano. Isso significará mais geração de empregos, melhor qualidade de vida e crescimento para a nossa cidade.
 
A Gazeta: Fale sobre a sucessão municipal.
 
Ney: Na eleição passada fizemos uma composição de 7 partidos, e quem ganhou foi Coronel Sapucaia. Espero fazer uma composição com todos os partidos novamente. Mas independente de campanha do ano que vem, precisamos primeiro pensar em Coronel Sapucaia. Se está dando certo? Continua. Se der errado, as urnas falarão. Mas como nós não somos daquelas pessoas que pegam uma coisa para fazer e não terminam, ao contrário, a gente trabalha realmente, então acredito que todos os outros partidos estarão juntos conosco nessa empreitada, porque temos que pensar no progresso de Sapucaia. Fomos eleitos com 68% dos votos da população, que acreditou no nosso mandato. Esperamos que todos os partidos fiquem conosco, que é para o bem de Coronel Sapucaia. O município sofreu nos últimos anos, inclusive com ato até de violência, e não podemos deixar o município sofrer mais . Temos que colher bons frutos, esperamos continuar resgatando a dignidade do cidadão de Sapucaia. Hoje com essas filiações do PR, temos o Londres, o Dirceu, e a população, então vamos continuar fazendo o bem para o município. Coronel Sapucaia já contribuiu muito com arrecadação de ICMS para o Estado e para o Brasil, então está na hora de colhermos frutos. E aqui tenho a minha família , e quero junto com esses partidos fazer algo de bom para melhorar nossa cidade. É lógico que o prefeito não contenta 100%, até porque tem a oposição que quer ser prefeito, quer ser governo, ser presidente da República, cada um quer mostrar seu trabalho. Mas a primeira coisa do ser humano é ter humildade, pés no chão, então conclamamos as pessoas de bem para continuar colocando Coronel Sapucaia entre as cidades que crescem. Aqui têm cidadãos de bem, que praticam bem.

Fonte: A Gazeta News