20/09/2007 10:31

Eldorado:Pecuaristas dizem que não a mais aftosa

Os pecuaristas da região do Cone Sul dizem que não há mais a incidência da febre aftosa na área de risco sanitário. “Saímos da porteira, para combater a carnificina e provar que alguns fizeram um trabalho exagerado, e tenho em mãos documentos que provam que não há aftosa em Eldorado desde seis de dezembro do ano passado, quando o patologista Raimundo Tostes examinou a coleta de sangue e naquela época a sorologia já confirmava inexistência do vírus no rebanho bovino. Por isso, estamos agindo para acabar com qualquer especulação que queira dizer que existe atividade viral no Cone Sul”, disse o pecuarista Tito Turquino, de Eldorado.

Pecuaristas do Mato Grosso do Sul aguardam com ansiedade a divulgação do resultado da sorologia que vai apontar se há ou não a circulação viral da febre aftosa na região da área de risco sanitário, compreendida entre Japorã, Eldorado e Mundo Novo, onde houve o registro de 34 focos de febre aftosa, entre outubro de 2005 e abril de 2006. O anúncio oficial do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) deve ocorrer na próxima terça-feira.

Antes do adiamento da data de divulgação (anteriormente marcada para agosto), era aguardada uma reunião extraordinária da Organização Internacional de Epizootias (OIE), em Paris (França), para definir sobre a concessão ou não do status de área livre de febre aftosa com vacinação para o Mato Grosso do Sul. Segundo o superintendente federal de Agricultura, Orlando Baez, não há data agendada (entre setembro de 2007 e maio de 2008).

A concessão do status sanitário equivale a liberação para que as indústrias frigoríficas do Estado possam exportar a carne. A demora para a divulgação do resultado da sorologia, segundo o presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul), Laucídio Coelho Neto, prejudica a pecuária do Estado, que também leva mais tempo para se refazer.

Fonte: Sulnews