30/09/2007 04:36

Piratas atacam embarcações no Rio Paraná

Comuns no século XVII os piratas, saqueadores dos mares, não desapareceram por completo, mas se adaptaram. Na quinta-feira (27) os bandidos deram o ar da graça em água doce. Eles se aproximaram de pescadores, anunciaram o assalto, roubaram o barco e abandonaram as vítimas em uma ilha do Rio Paraná. Depois de quase cinco horas outros pescadores resgataram as vítimas.

R.A.M., e L.J.L.S., contaram que navegavam nas proximidades do Porto Yara, no Rio Paraná, altura de Altônia, quando foram abordados por três homens que estavam em outra embarcação. "Eles chegaram conversando, perguntando sobre a pesca e quando encostaram anunciaram o roubo", comentou R.A.M

L.J.L.S., disse que o 'barco pirata' era escuro e os tripulantes estavam armados com uma espingarda calibre 12 e duas pistolas. "Eles contaram que precisavam do barco mais que a gente. Nos obrigaram a ficar na parte traseira do barco até se aproximarem de uma pequena ilha, onde nos abandonaram", comentou.

A embarcação roubada é o Tucunaré de alumínio com seis metros de comprimento, equipado com um motor de popa Yamaha de 15 HPs. "Foram os piores momentos de minha vida. Pensei em tudo. Meu maior medo era de que eles nos matassem e nos jogassem no rio", destacou uma das vítimas.

R.A.M., lembrou ainda que na ilha a sensação de impotência o deixava confuso. "Não tinha nada que pudéssemos nos abrigar ou nos alimentar. Chegamos a ver algumas embarcações, mas os ocupantes não ouviam nosso clamor por socorro. Por sorte um deles chegou mais perto e conseguimos chamar sua atenção".

A tortura da dupla de pescadores foi de quase cinco horas, Eles foram resgatados por volta das 21h. A Polícia Marítima abriu inquérito para apura o crime, mas até o início da noite de ontem não havia identificados os piratas do Rio Paraná.


Fonte: Sulnews