20/09/2007 05:04

Caarapó:Dez detentos são transferidos para Dourados

Vilson Nascimento

Uma escolta da Polícia Militar de Dourados realizou a transferência, no final da manhã dessa quarta-feira (19) de dez detentos da cadeia pública de Caarapó para o PHAC (Presídio Harry Amorim Costa) em Dourados.

Segundo o delegado de Polícia Civil, titular da Delegacia de Caarapó, Dr. Joel José da Silva que conseguiu as transferências junto ao Juiz da vara de execuções penais da Comarca local, os dez detentos transferidos vinham agitando e já teriam tentado duas fugas na cadeia pública local que tem capacidade para 24 presos, mas atualmente abrigava 75 internos, 53 deles cumprindo pena ou aguardando sentença em regime fechado.

Os transferidos- Dos presos transferidos para Dourados nessa quarta-feira dois aguardam sentença por roubo, Arcindo Godoi Portilho, o “Portilho” e Edevaldo Carlos Pereira, o “Padeiro”, ambos acusados de roubos de caminhões e caminhonetes na região, um por furtos, Anderson Araújo de Almeida, o “Todinho”, como é mais conhecido e os 7 restantes, Marcelo Costa Araújo, Herbert Lemos Evangelista, Marcos de Souza Matos, Caio César Souza Moura, Daniel Silva Moraes, Aislan Tiago Santos Ferreira e Justino Marin Suares, cumprem pena ou aguardam sentença por tráfico de drogas.

Cadeia é problema para a polícia- A cadeia pública de Caarapó e um grave problema para a Polícia Civil local que em muitas ocasiões acaba tendo seu trabalho de polícia investigativa prejudicado porque os investigadores, que deveriam estar nas ruas, trabalhando para desvendar crimes ocorridos na cidade, têm que realizar o trabalho de “carcereiro” atendimento a presos, função que deveria ser exercida por agentes penitenciários treinados para o trabalho.

Existe uma movimentação e várias cobranças de autoridades e da sociedade caarapoense para que a cadeia pública local passe para a administração da Agepen (Agência de Administração do Sistema Penitenciário de Mato Grosso do Sul), mas até o momento não se tem resposta efetiva sobre uma possível passagem da cadeia da Polícia Civil para a agência estadual em Caarapó.

“Caso isso venha a acontecer quem vai ganhar é a sociedade caarapoense em geral, já que a Polícia Civil terá mais tempo e pessoal para investigar os crimes ocorridos na cidade e identificando e prendendo os autores”, disse o delegado Dr. Joel José da Silva, que além da função de delegado titular, também exerce a função de “diretor da cadeia pública” em Caarapó.

Além do delegado, Dr Joel da Silva, a saída dos detentos da cadeia pública de Caarapó para o presídio de segurança máxima em Dourados foi acompanhada pelo comandante do Pelotão PM de Caarapó, capitão Carlos Magno da Silva.

Fonte: A Gazeta News