27/03/2007 06:58

Mulher morre na capital com suspeita de dengue visceral

Silésia Mari Müller, presidente do Lions Club de São Gabriel do Oeste, morreu no HMC (Hospital Miguel Couto), no bairro Carandá Bosque, em Campo Grande, com suspeita de dengue visceral. Ela foi transferida na manhã de domingo de São Gabriel do Oeste, onde morava, para a clínica na Capital após exames confirmarem que ela estava com dengue.

De acordo com a médica Eva Wilma Guimarães, que atendia Silésia em São Gabriel do Oeste, a paciente foi internada no Hospital Municipal José de Oliveira na segunda-feira, dia 19, e liberada na quarta-feira, dia 21. Ao chegar à residência, Silésia começou a passar mal e foi levada para o Hospital São Francisco na quinta-feira, dia 22, já no sábado ela começou a piorar e não respondia mais aos medicamentos, sendo transferida para o CTI (Centro de Terapia Intensiva).

A presidente do Lios Club foi encaminhada para o HMC em Campo Grande, onde também ficou no CTI e morreu com parada cardíaca. Conforme Eva Guimarães, a vítima tomava vários remédios e fazia outros tratamentos, sendo que isso também poderia implicar na morte dela, já que o estado de saúde da paciente era muito debilitado.

O corpo da vítima foi encaminhado para o município de São Gabriel, sendo que os exames para a confirmação da doença já foram realizados e os resultados serão divulgados em 30 dias. A dengue visceral ou gástrica, como é chamada, já foi considerada a causa da morte de pelo menos 21 pessoas no Paraguai.

A doença agrava o estado de saúde do paciente e dificulta o tratamento, pois produz uma inflamação na vesícula, no fígado, nos intestinos, nos pulmões, no coração e até no cérebro, que por sua vez faz com que o órgão afetado pare de funcionar. Caso a causa da morte de Silésia seja mesmo dengue visceral, essa será a primeira morte em decorrência da doença em Mato Grosso do Sul.

Fonte: Midiamaxnews