26/03/2007 11:29

Empresa recupera trecho entre Amambai e Caarapó

A empresa responsável pela construção da rodovia MS 156, no trecho que liga Amambai a Caarapó já está na região para fazer as devidas correções necessárias, depois que foi constatado que alguns trechos sofreram “escorregamento da capa asfáltica”. Para entender melhor o caso, a MS 156, começou a ser construída em 1992 em seus 78 km de rodovia, sendo suspensa sua construção dois anos depois. Em 1999 a obra foi recomeçada e suspensa em 2002 voltando a ser refeita em abril de 2004 e definitivamente entregue a população em 2006. 

Segundo o engenheiro Pedro Rodrigues que está na região acompanhando os trabalhos, é comum acontecer essa ezudação em trechos pavimentado. O grande problema está ligado ao excesso de umidade que é comum nessa época do ano bem como o excesso de peso, já que o asfalto é feitos para suportar até 45 mil toneladas e boa parte das carretas transitam acima do peso permitido, o que só será resolvido com a implantação de balanças.

Segundo a empresa a rodovia está em excelente estado de conservação e com sinalização exemplar, mas nota-se claramente que o excesso de peso é a principal causa do estrago da rodovia no trecho próximo a fazenda Campanário, onde ocorreu o deslocamento da capa asfáltica.  A curva de nível feita pelos produtores acaba alagando em grande quantidade as proximidades da pista, e com o peso das carretas acaba ocorrendo prejuízo para o asfalto. A prova é tão evidente que só ocorre na pista no sentido em que a carretas estão voltando carregadas. Na pista aonde elas seguem vazias, ou com peso na medida certa, nada ocorreu no asfalto. Outro problema constatado pela nossa reportagem é o impacto de ondulação que os veículos sofriam nas pontes, mas para o engenheiro, as pontes não podem receber o impacto direto dos veículos, por isso é natural a pista ceder alguns centímetros, antes da ponte, o que já foi corrigido. 

A empresa fez até domingo, 25, todo reparo no trecho velho da rodovia, construído há 14 anos e continuará corrigindo qualquer irregularidade, tão logo o excesso de chuvas na região se acalmem.
 
Fonte: Fernando Soares- Assessoria de Imprensa


Fonte: Assessoria