26/03/2007 03:39

PDT aguarda definição de Lula sobre Ministério da Previdência

O PDT aguarda a definição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a escolha de um nome para chefiar o Ministério da Previdência. A expectativa do partido é que Lula nomeie nesta semana um quadro do PDT para a pasta.

O PDT indicou para o presidente Lula os nomes do presidente do partido, Carlos Lupi, e do secretário-geral da legenda, Manuel Dias.

Segundo o ministro de Relações Institucionais, Walfrido dos Mares Guia, as conversas com o PDT estão avançadas para que o presidente Lula defina o novo titular da pasta.

"São dois quadros respeitáveis, com experiência política de longa data, mas o presidente está examinando. Logo depois dos ministérios, os ministros começam a compor as equipes que compõem o governo, de estatais e outras empresas", afirmou ele na sexta-feira.

Walfrido disse que Lula vai criar uma comissão integrada pelo próprio ministro, Paulo Bernardo (Planejamento) e Dilma Rousseff (Casa Civil) para discutir a indicação de nomes para o segundo escalão do governo.

Depois de praticamente definir as mudanças na sua equipe principal de governo, Lula terá pela frente o desafio de acomodar partidos aliados em órgãos do Executivo.

Walfrido também endossou as indicações de Miguel Jorge para o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, além do ex-ministro Alfredo Nascimento (PR) para os Transportes. Ele afirmou, no entanto, que o presidente Lula ainda vai acertar detalhes sobre a criação da Secretaria de Portos --que será comandada pelo ex-ministro da Integração Nacional Pedro Brito (PSB).

A criação do órgão gerou críticas da bancada do partido na Câmara, uma vez que o comando do setor era da alçada do Ministério dos Transportes.

O novo ministro minimizou a chiadeira do PR em relação à mudança. "Todos os partidos, se eles não reclamarem por espaço, alguma coisa está errada. Todos os partidos querem mostrar seus pontos positivos, suas lideranças. [O PR] é um partido importante que acompanha o presidente há muito tempo e sabe das dificuldades para formação de um governo. Ao passo que as coisas vão sendo discutidas e negociadas, vamos atendendo aquelas que são possíveis", afirmou.

Fonte: Folha Online