29/09/2007 20:36

Brasil enfrenta a Alemanha na decisão do mundial

Erguer a taça da Copa do Mundo e soltar o grito de "é campeã". O sonho de criança pode se tornar realidade para a seleção brasileira de futebol feminino neste domingo de manhã, na China. Liderada com maestria pela meia Marta, a equipe verde e amarela disputará pela primeira vez uma decisão de Mundial e enfrentará a poderosa Alemanha, vencedora da última edição da competição. A partida começará às 9 horas (de Brasília), em Xangai, com transmissão ao vivo da Band e do Sportv, com acompanhamento online do estadao.com.br.

A volante Daniela Alves resumiu com uma frase o sentimento da seleção. "Queremos escrever nossos nomes na história." Seria merecido. Elas já sentiram na pele o que significa praticar esse esporte no País. Sofreram com a falta de incentivo e o machismo. Mas nunca faltou motivação. Superaram com garra os obstáculos da vida. Por tudo isso, acreditam que chegou o momento da consagração e do reconhecimento.

Esperam que o título traga melhorias para o futebol feminino. "Estamos encarando esse mundial como a grande oportunidade de nossas vidas", declarou Daniela Alves. "Meu maior desejo é jogar profissionalmente no meu País." Artilheira da Copa com sete gols, Marta carrega nos pés a esperança de o Brasil furar o forte bloqueio defensivo da Alemanha, que ainda não sofreu gols na competição. Por causa do seu espetáculo à parte, ela ganhou da Fifa o apelido de Magic Marta, pela magia com a bola. É o dia de se eternizar.

No outro lado, festa programada- A soldado Kerstin Stegemann adiou a comemoração de seu 30.º aniversário. Deixou a champanhe no gelo e aposta que ganhará o seu tão esperado presente: vencer o Brasil e levar a Alemanha ao segundo título consecutivo na competição.
“Para dizer a verdade, não imagino nada melhor (do que ganhar a Copa).
Teria tempo suficiente para comemorar (meu aniversário), especialmente se nós conseguirmos defender o nosso título”, disse a lateral, que com 167 jogos defendendo seu país é uma das atletas mais experientes do grupo comandado por Silvia Neid.

E Kerstin vem embalada não só pela data festiva, mas também porque marcou um dos três gols da vitória alemã sobre a Noruega nas semifinais. “Fiquei nas alturas porque finalmente fiz um gol em um momento importante”, conta. “E o melhor de tudo é que disse para minhas colegas no ônibus, enquanto íamos para o estádio, que me sentia bem e por isso ia mandar a bola para a rede.”


Fonte: Midiamaxnews