10/01/2019 17:00

Pedras causam danos e riscos de acidente entre Amambai e Juti

Problema teve início com serviço malfeito segundo moradores. Governador assumiu compromisso de pavimentar a rodovia estadual.

Is allowance instantly strangers applauded
Sem compactação adequada, pedras soltas e expostas são sinônimos de prejuízos e inclusive risco de acidentes para quem trafega entre Amambai e Jutí. (Fotos: Vilson Nascimento)

Vilson Nascimento

Produtores e moradores de propriedades, inclusive de assentamentos rurais situados ao longo da MS-289, trecho que liga Amambai a Jutí, vem fazendo frequentes reclamações em relação à falta de boas condições de trafegabilidade na rodovia estadual.

Ao longo dos cerca de 80 quilômetros interligando a MS-156 (entre Amambai e Tacuru), que é pavimentada a MS-180 na região do “Bolichão”, na divisa com Jutí estão grande parte da produção agrícola e pecuária de Amambai, além de vários assentamentos rurais que necessitam da via em boas condições para alavancar o desenvolvimento da agricultura familiar, baratar o custo de produção, bem como garantir condições adequadas de escoamento.

Um dos principais problemas enfrentados pelos usuários da rodovia atualmente está em relação às condições de trafegabilidade por conta de pedras soltas e expostas.

Com o objetivo de realizar reparos de danos provocados pelas chuvas que castigaram a região no final de 2015 e no decorrer de 2016, uma empresa terceirizada pelo Governo do Estado deu início a um trabalho de cascalhamento de trechos considerados mais críticos da MS-289.

Acontece, segundo produtores rurais e sitiantes da região, que o trabalho não foi concluído. O cascalho foi espalhado ao longo da rodovia estadual, mas o trabalho de compactação foi malfeito.

Por conta disso as pedras, hoje soltas ou expostas sobre a pista de rolamento da estrada não pavimentada causam lentidão na trafegabilidade, danificam veículos e provocam iminente risco de acidentes, sobretudo para quem trafega de motocicleta, que é o um dos principais meios de transporte utilizado, principalmente por sitiantes daquela região do município, em Amambai.

Pavimentação é promessa de campanha de Azambuja

A pavimentação do trecho da MS-289 entre Amambai e Jutí é uma promessa de campanha do atuam governador reeleito de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB) que vem desde seu primeiro mandato.

Impulsionados pela viabilidade econômica e a necessidade logística da pavimentação da rodovia, aliado a compromisso de campanha do governador, o Sindicato Rural de Amambai (SRA) em conjunto com diversas outras entidades e representações, entre elas o Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) a ACIA (Associação Comercial e Empresarial de Amambai), a Aprosoja/MS, a Coopersa (Cooperativa Agroindustrial Amambai), o Rotary Clube, a Associação do Loteamento Querência, Associação do Assentamento Sebastião Rosa da Paz, a Associação dos Hortifrutigranjeiros de Amambai e o Lions Clube Amambai Crepúsculo, entre outros segmentos, elaboraram, em 2017, um relatório conjunto destinado ao Governo do Estado detalhando a importância e a necessidade urgente da pavimentação da MS-289 entre Amambai e Jutí.

Além desse relatório, vários outros pedidos pela pavimentação da rodovia foram destinados pelo Sindicato Rural, alguns deles entregues em mãos ao próprio governador Reinaldo Azambuja.

Em um último oficio protocolado no ano passado (2018) pelo então presidente do Sindicato Rural de Amambai, Ronan Nunes da Silva o governador reforçou, segundo Ronan, seu compromisso de campanha em pavimentar o trecho da rodovia estadual.

Em entrevista recente a reportagem do grupo A Gazeta, Reinaldo Azambuja disse reconhecer a importância da pavimentação do trecho da MS-289 entre Amambai e Jutí para o desenvolvimento da região e informou que está buscando alocar recursos para a implantação da obra, feito que deverá ocorrer ao longo de seu segundo mandato que teve início no último dia 1 de janeiro.

Fonte: A Gazeta News