27/09/2007 15:19

Projeto Pintando a Liberdade é relançado em Amambai

Vilson Nascimento

Foi realizado, na manhã dessa quinta-feira (27) na Câmara Municipal de Amambai, o relançamento do “Projeto Pintando a Liberdade”, desenvolvido pelo Governo Federal através do Ministério dos Esportes, em parceria com o Governo do Estado em Mato Grosso do Sul através da Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer) e em parceria com a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário de MS).

Estiveram presentes no relançamento do projeto, que já chegou a funcionar por cerca de seis meses no Estabelecimento Penal de Amambai (EPAM) abrangendo 15 detentos que produziam em média 200 bolas ao mês e foi suspenso em maio do ano passado após uma série de rebeliões em presídios de Mato Grosso do Sul, o diretor-presidente da Fundesporte Dirceu Lanzarini, o gerente de produção do Pintando a Liberdade em Mato Grosso do Sul Antônio Marcos Farias, a presidente da 10ª Sub-Sessão da OAB de Amambai, advogada Patrícia Rossi, o Coronel PM Waldemir Terra que representou o diretor-presidente da Agepen , Coronel Hilton Vilassanti e o diretor do regime fechado do EPAM, Alexandre Ferreira.

Autoridades do município em Amambai, entre elas o presidente da Câmara vereador Osvaldo Machado Franco, o “Coconho” (PR), a vereadora Andréia Jaqueline Casagrande Raymundo (PSDB), os vereadores Josmair Cardoso e Anderson Mansano (PR) também estiveram acompanhando do relançamento, além de Ramiro Franco Machado, que representou a Fundesc (Fundação de Desporto e Cultura de Amambai), o 1ª Tenente do Exército Brasileiro Max Sovat Cancio que representou o comando do 17º RC Mec, diretores de escolas e representantes de classes sociais do município.

Como funciona- O Projeto Pintando a Liberdade é desenvolvido pelo Ministério dos Esportes em parceria com os governos estaduais e visa, além de oferecer atividades e a oportunidade para os internos, que recebem R$ 2,00 por cada bola costurada, um dia de remissão na pena a cada três dias trabalhados, além de uma oportunidade de aprender uma profissão, que poderá usar quando forem reintegrados a sociedade, também tem por objetivos abastecer de materiais esportivos escolas públicas e entidades ligadas ao esporte, não só no Brasil, mas também no exterior.

Segundo o Ministério dos Esportes o Governo Federal oferece 90% da estrutura para a execução do projeto que vai deste aquisição da matéria prima até as despesas com a confecção, conseqüentemente fica com mesmo percentual do material confeccionado, que segundo o ME acaba sendo distribuídos nas próprias escolas públicas do Estado.

Já o Governo do Estado entra com 10% da estrutura e pela parceria é o responsável em administrar o trabalho realizado. Hoje o Pintando a Liberdade já atende vários presídios de MS e a meta do Governo, segundo a Fundesporte é abranger mais unidades prisionais.

Em Amambai- Em Amambai o Pintando a Liberdade irá contar, nesse reinício, com o trabalho de 15 detentos do Estabelecimento Penal local que irão confeccionar bolas de futebol, vôlei, basquete, futsal e de handebol infantil. Já em outras localidades como Dourados, por exemplo, os detentos também confeccionam redes esportivas além das bolas.

O Projeto, que conta com o respaldo do Poder Judiciário, será desenvolvido no interior do Estabelecimento Penal de Amambai e segundo o diretor-presidente da Fundesporte Dirceu Lanzarini e seu retorno no Estabelecimento Penal de Amambai já era uma cobrança da Câmara Municipal e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) local. 

Fonte: A Gazeta News