21/09/2007 12:29

Seca atrasa plantio de soja e milho em Amambai

Suzana Cabral Machado

                 A estiagem atrapalhou os planos de alguns agricultores amambaienses com relação ao plantio de milho neste 2º semestre do ano.

                “A intenção era aumentar a área plantada de milho e diminuir a de soja, devido à expectativa sobre o bom preço do milho, mas o clima seco não favoreceu”, afirma o técnico agrícola Sérgio Costa Curta.

                A soja possui uma das maiores cotações, fato que atrai o produtor, mas o câmbio traz desvantagens. No caso do milho as vantagens no câmbio são melhores e a perspectiva de lucro maior, apesar dos riscos serem maiores, devido ao fato da agricultura não suportar a estiagem.

                “O milho tem um período crítico, que é o de floração. Não pode faltar umidade 15 dias antes e 15 dias depois dessa fase”, esclarece Sérgio.

                Segundo o técnico agrícola a área plantada deve ser a mesma de 2006 no município, 28.800 hectares de soja e 3.500 hectares de milho.

                O período de plantio sofre atrasos em conseqüência do clima seco. O milho deveria estar sendo plantado, já que o período ideal para o plantio vai de 28 a 30 de setembro. Para a soja a fase de plantio vai de 20 de outubro a 20 de novembro.

                O ano passado foram colhidas 87 mil toneladas de soja e aproximadamente 20 mil de milho.

 Seca não é o único vilão - A estiagem não é o único empecilho para os produtores. Os prejuízos sofridos durante três safras seguidas, deixaram os agricultores com dinheiro insuficiente para saldarem suas dívidas e se estruturarem.

                Os problemas de acesso a novos créditos também agrava a situação financeira dos produtores.

                Produtos como fertilizantes tiveram um aumento de preço significativo, os demais defensivos agrícolas apresentaram uma redução nos preços. “Os grandes vilões são os fertilizantes e o óleo diesel, que não subiu de preço, mas ainda assim possui um valor alto”, ressalta Sérgio.

                Esses fatores obrigam o produtor a comprar produtos nas cooperativas, o que eleva os gastos e reduz a margem de lucro do agricultor.

                Em condições climáticas normais, Amambai é um dos municípios de melhor produtividade de milho do Estado.

                Segundo Sérgio, o mercado tem uma inclinação para diminuir a exportação de soja do país, devido às usinas de biodiesel que aumentam no Brasil.

                “A produção de milho já é para consumo interno mesmo e agora com as usinas de biodiesel utilizando o soja, a tendência é que as exportações diminuam, devido ao aumento do consumo do mercado nacional. Essa usina de biodiesel que está instalada em Caarapó, pode consumir todo o soja produzido lá e em Amambai, se for interesse dos produtores ou das cooperativas disponibilizar toda a produção para eles.”

                Alguns produtores têm contratos futuros de venda da saca de soja no valor de 16.5 dólares (sujeito a alteração devido à cotação do dólar).

 Produtores não aumentam plantação de milho devido à falta de chuvas - A estiagem atrapalhou os planos de alguns agricultores amambaienses com relação ao plantio de milho neste 2º semestre do ano.

                “A intenção era aumentar a área plantada de milho e diminuir a de soja, devido à expectativa sobre o bom preço do milho, mas o clima seco não favoreceu”, afirma o técnico agrícola Sérgio Costa Curta.

                A soja possui uma das maiores cotações, fato que atrai o produtor, mas o câmbio traz desvantagens. No caso do milho as vantagens no câmbio são melhores e a perspectiva de lucro maior, apesar dos riscos serem maiores, devido ao fato da agricultura não suportar a estiagem.

                “O milho tem um período crítico, que é o de floração. Não pode faltar umidade 15 dias antes e 15 dias depois dessa fase”, esclarece Sérgio.

                Segundo o técnico agrícola a área plantada deve ser a mesma de 2006 no município, 28.800 hectares de soja e 3.500 hectares de milho.

                O período de plantio sofre atrasos em conseqüência do clima seco. O milho deveria estar sendo plantado, já que o período ideal para o plantio vai de 28 a 30 de setembro. Para a soja a fase de plantio vai de 20 de outubro a 20 de novembro.

                O ano passado foram colhidas 87 mil toneladas de soja e aproximadamente 20 mil de milho.

Fonte: A Gazeta News