18.5 C
Amambai
segunda-feira, 15 de julho de 2024

Em três meses, Grupo Onça Pintada atende mais de 1,5 mil mulheres em 24 municípios

Cumprindo sua missão de salvar vidas através da prevenção ao câncer de mama, o Grupo Onça Pintada (GOP), organização não governamental (ONG) fundada há 23 anos pelo deputado estadual Paulo Corrêa (PSDB), percorreu os quatro cantos de Mato Grosso do Sul e atendeu mais de 1,5 mil mulheres em 24 municípios ao longo dos últimos três meses.

De março a junho de 2024, a equipe multidisciplinar do GOP atendeu mulheres de Água Clara, Alcinópolis, Amambai, Anastácio, Aquidauana, Aral Moreira, Bela Vista, Bodoquena, Bonito, Caracol, distrito de Alto Caracol, Cassilândia, Coxim, Dourados, Inocência, Japorã, Jardim, Miranda, Mundo Novo, Porto Murtinho, Ribas do Rio Pardo e Rio Verde de Mato Grosso.

Em três meses, Grupo Onça Pintada atende mais de 1,5 mil mulheres em 24 municípios

Em Campo Grande, onde está localizada a sede do GOP, a unidade móvel percorreu todas as regiões da cidade, atendendo pacientes dos bairros Vila Marli, Mário Covas, Silvia Regina, Santa Emília, Jardim das Virtudes, Coophavilla, Vila Planalto e Aero Rancho.

“No Grupo Onça Pintada, as mulheres recebem atendimento preventivo na própria cidade, graças à nossa unidade móvel e ao time dedicado de voluntários que vão até onde elas precisam. Assim, evitamos a necessidade de uma viagem cansativa até Campo Grande, onde está localizada nossa sede”, explica Paulo Corrêa, padrinho do projeto.

Na unidade móvel, afirma Corrêa, as pacientes recebem atendimento clínico, onde é realizado o rastreio da mama (exame de toque) e, caso sejam encontrados nódulos, é feita a ultrassonografia. “Se, durante a ultrassonografia, nosso médico radiologista tiver alguma dúvida, a paciente é trazida para Campo Grande, onde será atendida pelo mastologista e realizará a mamografia na nossa sede”, conta.

Em três meses, Grupo Onça Pintada atende mais de 1,5 mil mulheres em 24 municípios

Paulo Corrêa lembra que os trabalhos do GOP acontecem o ano todo, reforçando a rede de combate ao câncer de mama em Mato Grosso do Sul. Ele explica porque decidiu vestir a camisa e entrar de peito na luta contra o câncer de mama. “Aos 46 anos de idade, minha mãe faleceu devido a complicações de um câncer de mama que já descobrimos em estágio avançado”, lembra.

“A partida dela para essa doença que muitas vezes é silenciosa me encorajou a encampar essa bandeira ao lado da minha família e criar o Grupo Onça Pintada. No GOP, nossa missão é salvar vidas através da prevenção, porque o segredo para aumentar as chances de cura das pacientes é fazer o diagnóstico precoce do câncer de mama”, orienta.

Leia também

Edição Digital

Jornal A Gazeta – Edição de 15 de julho de 2024

Clique aqui para acessar a edição digital do Jornal...

Enquete