18.9 C
Amambai
quinta-feira, 20 de junho de 2024

Fomos comprados por Cristo? – Por Eloir Vieira

Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus” (1ªCo 6.20).

Antes do sacrifício de Jesus na cruz, a humanidade estava destituída da glória de Deus (Rm 3.23). A glória de Deus é a presença de Deus, carregada de bondade, graça, compaixão, misericórdia (Êx 33.19). Foi por falta da glória de Deus na vida dos homens, que maltrataram, zombaram, escarneceram, crucificaram e mataram Jesus!

O preço exigido por Deus para o perdão dos pecados da humanidade, não era dinheiro, nem sacrifício de animais; mas sacrifício de um humano que fosse inocente, puro, imaculado, sem pecado; não existe um, no mundo. Somente Jesus, concebido pelo poder de Deus no ventre de uma mulher virgem, que ainda não conhecia homem na intimidade, poderia ser aprovado para derramar seu sangue para remissão dos pecados.

Jesus, não nasceu em pecado, não pecou, e, portanto, estava apto para ser o Cordeiro do sacrifício para a humanidade! Assim, fomos comprados a preço de sangue: “Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado” (1ªPe 1.18,19).

Se somos de Cristo, vivemos para Cristo: “Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo, como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo. E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação, sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado, o qual, na verdade, em outro tempo, foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado, nestes últimos tempos, por amor de vós; e por ele credes em Deus, que o ressuscitou dos mortos e lhe deu glória, para que a vossa fé e esperança estivessem em Deus. Purificando a vossa alma na obediência à verdade, para amor fraternal, não fingido, amai-vos ardentemente uns aos outros, com um coração puro; sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva e que permanece para sempre” (1ªPe 1.13-23).

Fomos comprados por Deus! Somos de Deus! Não devemos mais servir ao pecado, mas a Jesus Cristo, nosso Salvador e Senhor: “Ele nos tirou da potestade das trevas e nos transportou para o Reino do Filho do seu amor, em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados” (Cl 1.13,14. Não devemos servir ao pecado, mas a Jesus: “Fostes comprados por bom preço; não vos façais servos dos homens” (1ªCo 7.23). “Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus” (1ªCo 6.20). Deus abençoe!

Leia também

Edição Digital

Jornal A Gazeta – Edição de 20 de junho de 2024

Clique aqui para acessar a edição digital do Jornal...

Enquete