Gazeta de Amambaí


Quarta-Feira, 18 de Abril de 2018 às 19:03

Deputados aprovam isenção em concursos para doadores de rins

Intenção é incentivar a doação de rins em Mato Grosso do Sul

Os deputados aprovaram, em primeira votação, o projeto que concede isenção nas inscrições de concursos públicos estaduais, para as pessoas que já foram doadores de rins, assim como para aqueles que receberam. A intenção é estimular esta prática que pode salvar vidas de pessoas que precisam de um transplante.

“Precisamos estimular o aumento do número de doadores de rim, pois a falta dele leva muitas pessoas que necessitam de um rim a óbitos. O intuito deste projeto é exatamente este, sensibilizar pessoas a serem doadoras para salvarmos mais vidas”, disse o autor do projeto, o deputado Felipe Orro (PSDB).

Ele ponderou que para ter acesso ao benefício, os doadores precisam fazer a devida comprovação, com expedição de atestado médico, com a devida cópia de documento pessoal, comprovante de endereço e das devidas condições elencadas.

As empresas e órgãos estaduais que realizarem os concursos devem colocar este benefício nos respectivos editais, com as normas do benefício e a forma para o doador ou receptor ter acesso. A proposta ainda precisa passar por segunda votação.

Alarme – Os deputados também aprovaram a instalação de um sistema de alarme e emergência em banheiros para deficientes e pessoas com mobilidade reduzida, para que se estas pessoas tiverem algum acidente ou passarem dificuldades dentro destes locais, possam ter ajuda e serem socorridas em tempo hábil.

O autor do projeto, Maurício Picarelli (PSDB), justifica que chegou ao seu conhecimento, um caso de uma pessoa com deficiência, que acabou passando mal no banheiro adaptado. O acompanhante que estava do lado de fora, notando a demora, resolveu entrar no local e o encontrou desmaiado.

Homenagem – Foi aprovada ainda na sessão desta quarta-feira (18), a criação do “Dia do Orgulho Crespo de Mato Grosso do Sul”, que será incluído no calendário cívico e cultural do Estado. De autoria de Amarildo Cruz (PT), a intenção segundo o petista, é ser um “ponto de apoio” para quem tem o cabelo crespo saiba que pode ser respeitado pelos demais, tendo um reconhecimento institucional.

“Uma adolescente de Nova Andradina cometeu o suicídio e uma das razões apuradas nos registros policiais era exatamente o bullying sofrido por ter o cabelo crespo, será uma valorização dos trejeitos da raça negra”, explicou o deputado.

Fonte: Campo Grandenews

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Saúde

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.