Gazeta de Amambaí


Sábado, 30 de Junho de 2018 às 15:02

Eliminação de toxinas das plantas pode dobrar rendimento

O processo de reciclagem de toxinas pode inibir o crescimento vegetal em até 30%

O novo estudo do projeto Realizing Increased Photosynthetic Efficiency (RIPE) mostrou que ajudar as plantas a eliminar as toxinas naturais mais rapidamente pode dobrar o rendimento agrícola. A ideia surgiu a partir da necessidade de produzir cada vez mais alimentos em menor área de cultivo.

De acordo com o RIPE, estudos recentes estão mostrando que, quando as crianças nascidas hoje atingirem os 30 anos de idade, o planeta deve aumentar a produção de alimentos em pelo menos 70%. Paul South, bioquímico e membro do projeto, diz que é preciso não só criar novas variedades de alimentos, mas também conseguir estimular as plantas existentes para que produzam mais.

“O objetivo do projeto é aumentar a eficiência da fotossíntese, o processo que as plantas usam para converter a energia do sol nos alimentos que ingerimos. Em nossa publicação mais recente, mostramos que é possível aumentar drasticamente o rendimento das culturas, permitindo que a planta elimine suas toxinas mais rapidamente”, comenta.

O bioquímico explica que o processo de reciclagem de toxinas pode inibir o crescimento do vegetal em até 30%. Sem elas, as plantas poderiam direcionar 50% dos esforços produzidos durante a fotossíntese para aumentar a produção de grão. “A temperaturas mais elevadas, as plantas tendem a aumentar a quantidade de oxigénio convertido, assim como a estação de aumento de temperaturas e ondas de calor”, declara.

Um projeto liderado pela cientista Christine Raines, da Universidade de Essex e do Serviço de Pesquisa Agrícola do Departamento de Agricultura Estados Unidos (USDA-ARS), testou o método em plantas de tabaco obtendo sucesso. O experimento conseguiu reciclar todas as toxinas e fazer com que as plantas produzissem mais proteínas do que o normal.

“Inicialmente, ela estava cética de que aumentar a produção de uma única proteína a partir de milhares na planta poderia ter um impacto tão dramático no rendimento das colheitas. Mas, após dois anos de testes de campo, meus colegas e eu mostramos que níveis crescentes de proteína H tornam a plantas maiores, o que aumenta o rendimento da safra em 27-47%,” finaliza South.  

Fonte: Agrolink

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Rural

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.