Gazeta de Amambaí


Terça-Feira, 05 de Junho de 2018 às 14:02

Robô é solução para extinção das abelhas

o BrambleBee cria um mapa 3D da estufa com objetivo de traçar as melhores rotas para a polinização

Um robô denominado BrambleBee pode ser a melhor alternativa para a polinização em caso de extinção das abelhas. O protótipo está sendo testado em uma estufa de amoreiras, na Universidade de West Virginia, localizada nos Estados Unidos.

Dentro das estufas, o BrambleBee localiza as flores das amoreiras com seu braço mecânico que pode realizar a polinização através de pincéis muito delicados. Yu Gu, professor da Universidade e um dos designers da máquina afirmou ao site Fast Company que como ela ainda é um protótipo a localização dessas "flores" é realizada com uso de QR codes, que são colocados dentro dos galhos das plantas. 

O pesquisador explicou que a ideia surgiu enquanto ele participava de um concurso lançado pela Nasa, que propunha a criação de um robô capaz de coletar amostras no espaço de forma autônoma. Segundo ele, a própria escolha das amoreiras não é por acaso, isso porque elas, em tese, se polinizam sozinhas, porém as frutas não conseguem se desenvolver saudavelmente ao ar livre sem as abelhas. "Parte do meu trabalho é programar capacidades de um robô, e isso me fez pensar que seria possível realizar algo acerca do declínio da população de abelhas", declara.

Assim, o BrambleBee cria um mapa 3D da estufa com objetivo de traçar as melhores rotas para a polinização, o que acontece com auxílio de um algoritmo de visão computadorizada capaz de estimar a posição, tamanho e condições das flores das amoreiras. De acordo com o professor, o principal desafio do projeto foi encontrar uma forma de melhorar a identificação do robô, já que em condições não-controladas ele poderia se confundir com o grande número e a proximidade das flores das amoreiras. A solução encontrada foi a inserção dos QR codes para auxiliar nesse reconhecimento.

A extinção das abelhas é uma das grandes preocupações da comunidade científica que responsabilizam fatores como doenças, pesticidas, estresse e mudanças climáticas pela grande diminuição do número das polinizadoras. A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que 71% das culturas agrícolas que respondem por 90% da alimentação mundial dependem das abelhas.  

Fonte: Agrolink

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Rural

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.