Gazeta de Amambaí


Terça-Feira, 02 de Maio de 2017 às 13:02

Bocaiúva é matéria-prima natural em Mato Grosso do Sul

De uma propriedade localizada na zona rural entre Miranda e Bodoquena, sai uma matéria-prima que abastece as indústrias alimentícia, cosmética e farmacêutica. Natural daquela região, a bocaiúva, também conhecida como macaúba, dá em palmeiras espinhosas com até 25 metros facilmente encontradas no cerrado. A partir da polpa e da castanha é possível produzir tanto óleos quanto farinhas de alto valor nutritivo e terapêutico.

De grande potencial comercial, principalmente pela abundância, os derivados do fruto ainda são pouco explorados em território sul-mato-grossense. E é justamente neste nicho de mercado que a empresária Rita Meinert aposta. Há 12 anos ela e o marido investem na cultura e processamento da bocaíuva por meio da SR Ouro Verde. O casal mantém na fazenda uma área com dez hectares capazes de produzir até 400 toneladas por ano.

Segundo Rita, pesquisas feitas em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e com a Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) mostram que o óleo por, exemplo, pode ser usado no preparo de alimentos ou como medicamento, pois é benéfico para pessoas que sofrem de problemas cardíacos e diabetes. Com a farinha e a polpa é possível aproveitar o sabor único para criar doces, bolos, biscoitos e até mesmo sorvetes.

"O potencial da bocaiúva permite uso em diversos segmentos da indústria, principalmente com alimentos. A farinha é rica em fibras e o óleo em Ômega 3, e podem ser usados em diversos pratos, até mesmo em barras de cereal e mingau. Eles também têm alto poder de cicatrização", explicou ela, lembrando que o uso pode ir além. "Existem trabalhos avançados que utilizam a bocaiúva na produção de biodiesel", completou a empresária.

Surgimento
Rita explica que família deixou o Paraná há mais de uma década para investir na bocaiúva por duas razões simples: pouca exploração por parte de empresas e presença abundante da fruta na região de serras entre Miranda e Bodoquena. Desde que fundaram a SR Ouro Verde, conquistaram autorização do Ministério da Agricultura para manusear o produto e firmar parcerias com pequenos produtores da região, estimulando a agricultura familiar. O objetivo agora é ampliar a distribuição dos produtos para todo o país. 

Fonte: Correio do Estado

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Rural

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.