Gazeta de Amambaí


Terça-Feira, 29 de Maio de 2018 às 16:04

Paralisação é mantida, mas postos começam a receber combustíveis

A greve dos caminhoneiros, iniciada com a bandeira de luta contra o preço do óleo diesel, mas que se expandiu para outras reivindicações, continua em Caarapó e região. Os motoristas de caminhão não estão trabalhando, segundo fontes ligadas ao movimento.

Em Caarapó, os caminhoneiros permanecem estacionados próximo ao Posto São Fernando, na BR-163, saída para Juti. “A greve continua firme e forte e as reivindicações são as mesmas desde o início”, disse um caminhoneiro.

Aos poucos os postos estão recebendo combustíveis, após quatro dias de pane seca total nos estabelecimentos da cidade. A informação pela manhã é de que caminhões-tanque devem chegar em Caarapó escoltados pela Polícia Rodoviária Federal e pelo Exército. 

Nesta terça-feira, centenas de veículos já formam, desde as 5h, enormes filas para abastecerem.

Estado - Segundo a A CCR MSVia, concessionária que administra a BR-163, há manifestações de caminhoneiros em Mundo Novo (km 20), Eldorado (km 39), Naviraí (km 117), Juti (km 172), Caarapó (km 206 km 236), Dourados (km 256 km 266 km 281), Rio Brilhante (km 323), Nova Alvorada do Sul (km 373), Campo Grande (km 462 km 477 km 492), Bandeirantes (km 550), São Gabriel do Oeste (km 614), Rio Verde de Mato Grosso (km 678), Coxim (km 730), Sonora (km 812 km 837). O tráfego para veículos de passeio está liberado. 

A polícia mantém corredores para a circulação de transporte de animais vivos, gêneros alimentícios, equipamentos essenciais como medicamentos, combustíveis e outras cargas sensíveis, além de prestação de apoio aos manifestantes durante a desmobilização no intuito de garantir a segurança de todos os usuários das rodovias federais.

A falta de combustível em postos pelo país em razão das interdições nas rodovias, pode afetar também as redes de telefonia e internet para os usuários. Em nota oficial, divulgada na noite de ontem (28), o SindiTeleBrasil, entidade que representa as operadoras confirmou que a Anatel foi comunicada da questão. Além disso, as operadoras (TIM, Claro, Oi, Vivo) pediram prioridade de seus veículos no abastecimento da frota.

Fonte: Caarapó News

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Região

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.