Gazeta de Amambaí


Quarta-Feira, 04 de Abril de 2018 às 19:47

Rodovia em boas condições atrai desenvolvimento para o Cone Sul

Trecho da MS-156 entre Amambai e Caarapó teve restauração concluída e região já começa a sentir os efeitos.

Clique na Imagem para ampliá-la

Totalmente recuperada a MS-156 entre Amambai e Caarapó é apontada como a porta de entrada para o desenvolvimento da região. (Fotos: Vilson Nascimento)

Vilson Nascimento

O que antes era um pesadelo, não só para Amambai, mas também para moradores de vários municípios da região, o trecho da Rodovia MS-156 ligando Amambai a Caarapó e consequentemente a BR-163, agora é visto como um canal para atrair desenvolvimento para a faixa de fronteira, no Cone Sul do Estado, em Mato Grosso do Sul.

O Governo do Estado concluiu recentemente a restauração, inclusive com completa sinalização, dos cerca de 74 quilômetros da rodovia estadual e a obra, que custou em torno de R$ 53 milhões aos cofres do Estado, está sendo apontada pelos usuários da via como de excelente qualidade.

Por mais de 12 anos, desde que foi inaugurada, em 2005, até o meio do ano passado (2017) quando começou a ser restaurado, o trecho de rodovia estadual, apesar de sua posição estratégica para o desenvolvimento da região e ser o principal canal de ligação entre municípios como Amambai, Coronel Sapucaia, Paranhos, Tacuru e Sete Quedas à região central do Estado, vinha passando por apenas os paliativos “tapa-buracos” e chegou inclusive a ficar praticamente intransitável por determinados perídios.

Acontece que a obra foi concluída e inaugurada em 2005, mas a pavimentação do trecho entre Amambai e Caarapó na realidade havia começado alguns anos antes e quando a pavimentação, de fato, foi concluída, boa parte da rodovia, que na ocasião passou por recapeamento, já estava deteriorada e logo começou a apresentar problemas estruturais.

Região já começa a sentir os efeitos

A região, principalmente o município de Amambai, já vem sentindo os efeitos positivos da rodovia em boas condições.

O acesso de qualidade, aliado a fatores como a expansão do agronegócio, principalmente a agriculta e ao trabalho desenvolvido pela prefeitura local em buscar novos investidores, tem feito aumentar a visitação de empresários com interesse em se instalar em Amambai e também, segundo a Associação Comercial, já vem favorecendo o comércio local.

Procurado pela reportagem do grupo A Gazeta, o presidente da ACIA (Associação Comercial e Empresarial de Amambai), Clemente Martins Júnior, destacou os benefícios que rodovias em boas condições, tomando como exemplo esse trecho entre Amambai e Caarapó, trazem para o comércio.

Segundo o presidente da Associação Comercial, rodovias em boas condições favorecem para não atrasar as entregas das mercadorias, consequentemente evitando perdas e danos aos produtos e também contribui para diminuir os custos com transporte das mercadorias em caso de veículo próprio da empresa e também para o barateamento dos fretes, tendo em vista o menor desgaste dos caminhões, carretas e veículos de transporte de carga.

União de forças

O prefeito de Amambai, Dr. Edinaldo Bandeira, lembra que a conquista da restauração do trecho da MS-156 foi uma união de forças entre a administração municipal, incluindo a Câmara de Vereadores, segmentos da sociedade local e inclusive do governador Reinaldo Azambuja e do secretário de Estado de Infraestrutura e Transportes de Mato Grosso do Sul, Ednei Marcelo Miglioli.

“Nós de Amambai temos muito que agradecer ao governador Reinaldo Azambuja e ao secretário Marcelo Miglioli que, mesmo em um momento de profunda crise que o país atravessava, onde grande parte os estados não conseguiam se quer pagar a folha do funcionalismo, buscaram viabilizar elevados recursos para a implantação dessa importante obra em prol de Amambai e dos municípios da região”, disse Dr. Bandeira.

Fonte: A Gazeta News

Veja mais fotos:

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Região

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.