Gazeta de Amambaí


Domingo, 15 de Julho de 2018 às 23:49

Polícia Civil prende acusados de matar mulher em Amambai

Marilyne Siqueira, a “Birosca”, foi assassinada com requintes de crueldade na tarde desse sábado.

Clique na Imagem para ampliá-la

Abaixo os acusados, Elias Maluco (e), Renato de Souza e Edneia Paula, a “Verônica”. (Foto: A Gazetanews)

Vilson Nascimento

A Polícia Civil identificou e prendeu nesse domingo, 15 de julho, três pessoas acusadas de envolvimento no assassinato de uma mulher, crime ocorrido na tarde desse sábado, 14 de julho, em Amambai.

Marilyne Siqueira de Souza, a “Birosca”, de 43 anos, foi brutalmente assassinada a tiros e golpes de facão na região conhecida como “Buracão”, às margens da Rodovia MS-485, na saída para Aral Moreira.

Ao receber a notícia do crime, a equipe de investigadores de plantão na delegacia local, com apoio do SIG (Setor de Investigação Geral), sob coordenação dos novos delegados lotados em Amambai, Dra. Larissa Serpa e Dr. Pedro Ramalho, que é o novo delegado titular, em substituição ao então delegado titular, Dr. Mikaill Alessandro Gouveia Faria, que assumiu a função de delegado regional adjunto em Ponta Porã, passaram a atuar no caso.

Em primeiro momento a equipe chegou a um casal suspeito de envolvimento no crime, Edneia Paula de Almeida, a “Verônica”, de 42 anos e Renato Telies de Souza, de 58 anos, que teria negado a autoria e apontado outro indivíduo, Elias Francisco Fernandes, o “Elias Maluco”, de 26 anos, já com inúmeras passagens pela polícia por crimes diversos, como sendo o autor do assassinato.

Ao ser detido, Elias Maluco teria assumido o envolvimento no assassinato de Marilyne e relatado que não teria agido sozinho, teve o apoio do casal.

Segundo a Polícia Civil, ao ser colocado para acareação, o trio teria confessado o assassinato e passado detalhes sobre o crime.

A dinâmica do crime

Segundo a Polícia Civil, Elias Maluco, Renato de Souza teriam começado a planejar o crime na sexta-feira, dia 13 de julho, cada um com uma motivação pessoal diferente.

Elias Maluco planejava se vingar de Birosca porque ela o teria dedurado de envolvimento com um ato criminoso, fator que o levou para a cadeia.

Renato de Souza porque Marilyne teria invadido sua casa, furtado dinheiro e pertences, já Verônica, que outrora chegou a ser amiga da vítima, teria se envolvido em confusão por conta de Birosca.

Segundo a polícia no dia do crime, fazendo uso de uma veículo Corsa Sedan cor branca, placas de Amambai-MS, que foi apreendido, Edneia Paula, a “Verônica”, teria levado o marido e Elias Maluco para o local do assassinato, posteriormente voltado para a cidade pegado Marilyne e levado para a “emboscada”.

Armado com um revólver calibre 32, Elias Maluco teria atirado contra Birosca, enquanto Renato de Souza, de posse de um facão, teria passado a desferir diversos golpes contra a mulher.

Depois de matarem Birosca, Verônica, Renato e Elias Maluco teriam deixado o local abordo do Corsa e se livrado das armas usadas para o crime.

 

Após indicação dos supostos autores, o facão usado para desferir os golpes contra Marilyne, ainda com sangue da vítima, foi localizado em uma vegetação próximo ao local onde o corpo foi encontrado. Já o revólver o trio teria relatado que desfez da arma jogando no Córrego Panduí.

Diante da confissão da autoria do assassinato na Delegacia Polícia Civil, em Amambai, o trio foi autuado em flagrante por homicídio qualificado e permanece preso a disposição da Justiça.

A operação policial que resultou na prisão dos acusados também contou com a participação do delegado titular de Coronel Sapucaia, Dr. Marcos Wernecc.

Fonte: A Gazeta News

Veja mais fotos:

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Polícia

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.