Gazeta de Amambaí


Domingo, 01 de Abril de 2018 às 13:39

Casal é preso acusado de manter “boca de fumo” em Amambai

Mato-grossenses de 19 anos que vieram daquele estado há 30 dias também figuram como suspeitos de aliciar menores para levar drogas para o Mato Grosso e Rondônia, diz Polícia Civil.

Clique na Imagem para ampliá-la

Nas fotos abaixo o casal, Hérica Cristina e Jonathan Lucas. Além de manter “boca de fumo” a dupla também é suspeita de envolvimento com rede que alicia menores para levar drogas da região de Amambai para os estados de MT e RO. (Fotos: Vilson Nascimento)

Vilson Nascimento

Por meio de investigações realizadas no contexto da “Operação Amambai Livre das Drogas”, a Polícia Civil prendeu na quarta-feira, dia 28 de março, um casal acusado de manter um ponto de venda de drogas, a chamada “boca de fumo”, na cidade, em Amambai.

O suposto esquema de tráfico acontecia em uma residência situada no Conjunto Habitacional Alcindo Franco Machado, mesma região da cidade onde na semana anterior a Polícia Civil já havia desbaratado outro ponto de venda de drogas, que resultou na prisão de duas pessoas em flagrante por tráfico.

Segundo o delegado encarregado pela operação, Dr. Mikaill Alessandro Gouveia Faria, os investigadores chegaram até o casal, Hérica Cristina Alves da Silva, de 19 anos e Jonathan Lucas da Silva Ferreira, também de 19 anos, após informações que a dupla mantinha um ponto de venda de drogas na casa, que era alugada e os investigadores apurarem durante campana montada, a grande movimentação de supostos usuários de drogas entrando e saindo do local.

Segundo a Polícia Civil, durante a operação da quarta-feira, após nova campana realizada no local, os investigadores abordaram dois adolescentes que haviam acabado de sair da casa e em entrevista com os menores, eles teriam confirmado que haviam ido até a residência do casal para comprar maconha, confirmando assim as informações levantadas anteriormente pela equipe de investigação que se tratava de fato de uma “boca de fumo”.

De acordo com a Polícia Civil, na residência, além do casal, os policiais encontraram maconha e inclusive um adolescente de 17 anos, que seria da região da cidade de Naviraí, mas estaria residindo com Jonathan e Hérica em Amambai.

Indagado pelos policiais, Jonathan Lucas, que segundo a Polícia Civil já tem passagem por tráfico de drogas no estado do Mato Grosso, teria negado manter ponto de venda de drogas e teria relatado que ele e a amásia, Hérica Cristina, que é do estado de Rondônia, teriam vindo da cidade de Sapezal, no Mato Grosso onde residiam para Amambai há cerca de um mês com o objetivo de “mudar de vida”.

Polícia apura suspeita de aliciamento de menores

Além do ponto de venda de drogas em Amambai, o delegado encarregado pelas investigações, Dr. Mikaill Faria, informou que a Polícia Civil vai apurar o possível envolvimento do casal com uma rede de aliciamento de adolescentes para transportar drogas da região da fronteira com o Paraguai, em Mato Grosso do Sul para os estados de Mato Grosso e Rondônia.

As suspeitas surgiram porque no dia 21 de março, as investigações apuraram que um adolescente de 17 anos, que também estaria residindo com o casal, no Alcindo Franco Machado, em Amambai, foi apreendido pela Guarda Municipal no Terminal Rodoviário de Dourados quando embarcava em um ônibus de passageiros que fazia linha Dourados a Vilhena, em Rondônia, transportando 14,9 quilos de maconha na bagagem.

Depois de preso o casal foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil, em Amambai onde foi autuado em flagrante por tráfico de drogas e sob acusação de infringir o artigo 243 do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) que diz; vender, fornecer, servir, ministrar ou entregar, ainda que gratuitamente, de qualquer forma, a criança ou a adolescente, bebida alcoólica ou, sem justa causa, outros produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica.

A condenação no caso da infração ao ECA, acarreta em uma pena de  detenção de 2 a 4  anos e pagamento de multa.

Submetido a avaliação do Poder Judiciário, o juiz de plantão que era da Comarca de Ponta Porã devido ao feriado prolongado de Páscoa, optou por manter o casal preso até a audiência de custódia realizada na tarde dessa segunda-feira, 2 de abril.

Na audiência o juiz que atuou no caso manteve a prisão do marido e liberou Hérica para responder ao processo em liberdade.

A mulher alegava, segundo a polícia, que estava com suspeita de gravidez. Por decisão do Supremo Tribunal Federal  (STF) criminosas grávidas não podem mais ficar presas.

Bocas-de-fumo aliciam a causam danos à sociedade

Diferente do tráfico pesado, ou seja, o transporte de grande quantidade de drogas geralmente apreendidas passando pela região de Amambai, mas que tem como destino grandes centros do País, as “bocas-de-fumo”, são extremamente nocivas para a sociedade local.

São pontos de vendas de drogas como este estourado na quarta-feira em Amambai que aliciam crianças e adolescentes para o consumo de entorpecentes e alimentam outras ações criminosas como o furto e o roubo, por exemplo, onde, sem dinheiro, o usuário acaba praticando furtos e roubos, muitas vezes tendo como alvo a própria família, para manter o vício.

Matéria atualizada às 15h07 dessa segunda-feira (2) para acréscimo de informações.

Reportagem exclusiva do A Gazetanews. Proibida a reprodução total ou parcial sem que sejam citadas as respectivas fontes.

Fonte: A Gazeta News

Veja mais fotos:

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Polícia

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.