Gazeta de Amambaí


Sexta-Feira, 20 de Outubro de 2017 às 10:46

Operação nacional contra a pedofilia da Polícia Civil prende duas pessoas em MS

Suspeitos foram flagrados com drogas, armas e material pornográfico; ação conta com participação de policiais da Depca e Denar.

Dois homens foram presos na manhã desta sexta-feira (20), em Campo Grande, na operação nacional “Luz da Infância” que a Polícia Civil de 24 estados e do Distrito Federal faz contra a pedofilia e que tem como foco o combate ao compartilhamento de fotos pela internet.

Na capital de Mato Grosso do Sul estão participando da ação, que ocorre desde às 6h, policiais das delegacias especializadas de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) e de Repressão ao Narcotráfico (Denar).

Segundo informações preliminares da polícia, o suspeito de 31 anos seria um advogado e foi preso em flagrante, com drogas, armas e material pornográfico, na região da Vila Rosa Pires. Ele foi levado para a sede da Depca, no bairro Amambaí.

O outro homem, de 27 anos, foi flagrado no bairro Guanandi e também estava com fotos e vídeos pornográficos, além de armas e entorpecente. Segundo a polícia, ele não tem antecedentes criminais.

Mesmo com a prisão, agentes continuam a fazer diligências em vários bairros da cidade.

A operação

 

A ação foi deflagrada a partir de uma parceria da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) fez parceria com a Polícia Civil dos estados. Até por volta de umas 8h, pelo menos 20 pessoas haviam sido presas em flagrante.

A operação Luz da Infância conta com 1.100 policiais e tem mandados de busca e apreensão e de condução coercitiva. Não havia previsão de mandados de prisão, mas os presos foram detidos em flagrante com material pornográfico infantil em quatro estados e no Distrito Federal.

Só em São Paulo, são 31 mandados de busca e apreensão na capital, Grande São Paulo e interior de São Paulo. O foco da operação é o compartilhamento de fotos pela internet.

Os alvos da operação foram identificados por meio de um trabalho de cooperação entre a Diretoria de Inteligência da Senasp e a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, Adidância da Polícia de Imigração e Alfandega em Brasília (US Immigration and Customs Enforcement-ICE). A investigação durou seis meses e foi coordenada pela Diretoria de Inteligência (DINT).

 
Fonte: G 1

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Polícia

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.