Gazeta de Amambaí


Quarta-Feira, 18 de Outubro de 2017 às 20:51

Padrasto é preso acusado de estuprar enteada em Amambai

Menina hoje com dez anos, era violentada desde os cinco, diz ocorrência policial. Acusado nega.

Vilson Nascimento

A Polícia Civil prenderam nessa quarta-feira, 18 de outubro, por força de mandado de prisão expedido pela Justiça, um homem de 36 anos, acusado de violentar a própria enteada, em Amambai.

O autônomo, cujo nome e imagem não iremos divulgar como o objetivo de preservar a identidade da vítima, segundo relatos constantes na ocorrência policial, abusava sexualmente na menina, hoje com dez anos, desde os cinco anos de idade.

O caso veio à tona na segunda-feira, 16 de outubro, através da escola onde a jovem estuda, após a menina, em forma de desabafo, contar a uma professora, sobre os abusos sofridos.

Na ocasião ao ser informada, a direção da instituição de ensino levou o caso ao conhecimento da Polícia Civil que passou a proceder às investigações.

À polícia a criança teria relatado que os abusos por parte do padrasto aconteciam sempre em período noturno, quando a mãe da vítima, que toma medicamento calmante, por conta disso teria sono pesado, estava dormindo.

De acordo com relatos da vítima à polícia, no início o acusado mostrava os órgãos genitais a ela, posteriormente passou a tocar nas partes intimas da menina com os dedos, a língua, até supostamente evoluir para a prática de sexo anal.

Consta na ocorrência policial também que o indivíduo não teria praticado sexo vaginal com a vítima, somente passava o pênis e ejaculava sobre as partes intimas da menina.

Vítima era ameaçada

A menina também teria relatado para a polícia, segundo a ocorrência policial, que nunca contou os abusos sofridos a sua mãe, tendo em vista que o padrasto ameaçava matar ela e sua mãe, caso ela viesse a contar para a mãe ou para outra pessoa sobre os abusos que vinha sofrendo ao longo dos anos.

Em contato com a reportagem do A Gazetanews, a mãe da vítima, que convivia com acusado há nove anos e inclusive tem outra filha, fruto dessa relação, disse que jamais desconfiou que a menina vinha sofrendo abuso por parte do marido.

Segundo a mulher a jovem nem se quer insinuou algo que levantasse suspeita e o relacionamento entre o acusado e a vítima era normal como de pai para filha.

Diante dos relatos da vítima e as evidências, segundo a polícia, levantadas por laudo médico, o delegado encarregado pelas investigações do caso, Dr. Fabrício Dias dos Santos, representou pela prisão preventiva do acusado.

O pedido foi deferido pelo juiz nessa quarta-feira e ainda nessa quarta o acusado, que segundo a polícia nega todas as acusações, acabou preso. 

Fonte: A Gazeta News

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Polícia

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.