Gazeta de Amambaí


Quarta-Feira, 30 de Agosto de 2017 às 13:05

Ex-prefeito de cidade sul-mato-grossense é preso pela Interpol

Essa é a terceira vez que Eurico Mariano é preso neste ano em território paraguaio; ele está condenado a 17 anos de prisão

Clique na Imagem para ampliá-la

Eurico Mariano esconde algema após ser preso hoje em Assunção (Foto: Direto das Ruas)

O ex-prefeito de Coronel Sapucaia, Eurico Mariano, 64, voltou a ser preso hoje (30) em território paraguaio. Condenado a 17 anos de prisão por homicídio no Brasil, o político já tinha sido preso pela polícia paraguaia em janeiro e fevereiro deste ano, mas foi solto por ordem da Justiça paraguaia.

Na terça-feira, no entanto, Eurico Mariano foi preso pela Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal), em Assunção, capital do Paraguai. Ele foi levado para a sede da Interpol na capital paraguaia e os detalhes da ordem de prisão ainda não foram revelados.

Acusado de mandar matar o radialista paraguaio Samuel Ramon, em 2004, Mariano se refugiou no Paraguai e tinha sido preso pela última vez no dia 5 de fevereiro deste ano, em Capitán Bado, cidade paraguaia vizinha de Coronel Sapucaia, que fica a 400 km de Campo Grande. Entretanto, ele ficou apenas algumas horas preso e foi liberado.

 

No dia 19 de janeiro, Mariano também tinha sido preso por agentes da Polícia Nacional e colocado em liberdade após apresentar um habeas corpus da justiça do Paraguai.

Em fevereiro, após a segunda liberação de Mariano, o promotor Hernán Mendoza disse que em janeiro o ex-prefeito tinha apresentado habeas corpus expedido por um juiz de Pedro Juan Caballero, garantindo o direito de circular livremente em território paraguaio.

O documento tinha sido renovado em 2015, mas só seria válido se o ex-prefeito apresentasse antecedentes penais e judiciais de 2008, 2011 e 2015, o que não foi feito. Mesmo o promotor afirmando que o documento apresentado pelo ex-prefeito era falso, o político foi colocado em liberdade e só voltou a ser preso hoje.

Radialista – Samuel Ramon foi morto a tiros de pistola 9 milímetros em abril de 2004, ao chegar em sua casa, no centro de Coronel Sapucaia. O crime foi cometido por um pistoleiro que estava de moto. O radialista fazia oposição ao então prefeito da cidade, com duras críticas à administração em seu programa de rádio.

No andamento do processo, Eurico Mariano chegou a ser preso em 2005, mas foi solto por habeas corpus do STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Prefeito de Coronel de Sapucaia de 2001 a 2004, Eurico Mariano também foi processado por atirar contra José Segundo da Rocha após uma discussão em 2002. Rocha era funcionário do então prefeito e estava reivindicando flexibilização da jornada de trabalho.

 
Fonte: Campo Grande News

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Polícia

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.