Gazeta de Amambaí


Domingo, 24 de Dezembro de 2017 às 09:06

5 formas simples de ganhar dinheiro com o YouTube

 

 

 

 

Casey Neistat em vídeo em seu canal no YouTube
Image captionO americano Casey Neistat é um dos youtubers mais conhecidos | Foto: Reprodução

 

 

 

 

O YouTube é, para a maioria das pessoas, um site onde se pode ver vídeos gratuitamente. Para alguns, porém, também pode ser um trabalho, uma profissão e até mesmo uma porta para a fama.

Alguns dos produtores, conhecidos como youtubers, tornam-se estrelas e chegam a ficar milionários.

Mas como é possível que ganhem tanto dinheiro se ninguém paga para usar o portal?

Exibir anúncios é hoje apenas uma das formas de receita desse tipo de atividade. Conheça cinco maneiras com as quais qualquer pessoa pode ganhar a vida com o YouTube.

1. Exibindo anúncios nos vídeos

Ao contrário do que muitos pensam, os anúncios exibidos antes e durante os vídeos já não são o método mais lucrativo. Com o passar do tempo, a publicidade passou a dar menos retorno para os criadores.

O pagamento por cada 1 mil visualizações varia entre US$ 1 (R$ 3,30) e US$ 5 (R$ 16,50), e o YouTube ainda fica com 50% de todo o faturamento com isso.

É algo que faz mais sentido com vídeos muito populares: 1 milhão de visitas podem se traduzir em US$ 1 mil a US$ 5 mil.

E não é difícil achar youtubers com diversos vídeos que ultrapassam a marca de 20 milhões de visualizações, como Whindersson Nunes, o brasileiro de maior sucesso no site, com 25 milhões de assinantes em seu canal.

 

 

 

 

Whindersson Nunes concede entrevista à BBC Brasil
Image captionYoutuber brasileiro tem 25 milhões de assinantes em seu canal

 

 

 

 

2. Pedindo contribuições e oferecendo conteúdo exclusivo

Uma forma pouco conhecida pelo público de um produtor ganhar dinheiro são as plataformas de arrecadação de fundos, uma espécie de mecenato digital.

"Pense nisso como um pote de gorjetas online", diz o popular youtuber britânico Evan Edinger, que tem 400 mil seguidores.

Em um clipe recente, ele explica esse jeito de faturar: "O público assiste aos vídeos e, se gosta e quer apoiar seu criador, pode pagar algo em torno de US$ 1 por vídeo ou US$ 1 por mês".

Em alguns casos, os youtubers oferecem conteúdos exclusivos ou acesso privilegiado aos vídeos por meio destes serviços, e os usuários pagam por isso.

"Faço há um ano, e os espectadores podem ver meus vídeos um pouco antes e, às vezes, mandam perguntas. É simples e fácil", diz Edinger.

3. Redirecionando seu público e ganhando um percentual sobre as vendas

Isso é especialmente relevante para blogueiros de moda e beleza e aqueles que avaliam produtos tecnológicos.

 

 

 

 

Fleur De Force em vídeo em seu canal no YouTube
Image captionYoutubers como Fleur De Force publicam links de sites onde espectatdores podem comprar produtos que recomenda | Foto: Reprodução

 

 

 

 

Muitas vezes, as próprias empresas fornecem as mercadorias para serem testadas. Na descrição do vídeo, o youtuber informa um site onde é possível comprá-las. Se a venda é feita, ele ganha uma porcentagem.

É um jeito das marcas tirarem proveito da grande popularidade de alguns produtores e canais, que, por sua vez, rentabilizam seus comentários sobre os produtos.

4. Usando produtos e marcas

Sapatos, roupas, acessórios: tudo o que um youtuber usa é uma forma indireta de publicidade e pode lhe render dinheiro.

 

 

 

 

Zoella
Image captionZoella é uma youtuber que criou sua própria linha de cosméticos após fazer sucesso no portal | Foto: PA

 

 

 

 

As marcas podem pagar - em alguns casos, muito bem - por isso. Tudo depende do youtuber e seu número de seguidores e de visualizações em seu canal.

Mas a parceria com empresas não para por aí, e há outra forma até mais vantajosa.

5. Produzindo conteúdo patrocinado

As empresas podem propor que sejam feitos vídeos sobre seus produtos e serviços em troca de um bom pagamento em dinheiro.

Essa é a forma com que os criadores de vídeos do YouTube mais faturam, segundo Edinger.

"Podem pagar 12 vezes mais do que o faturamento com anúncios em um mês. Parece surreal, mas é verdade."

O blogueiro reconhece que isso pode afetar a qualidade do vídeo, por isso diz ser melhor trabalhar com marcas que não pressionam demais o youtuber e permitem que ele faça um material de qualidade.

Fonte: BBC Brasil

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Internacional

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.