Gazeta de Amambaí


Sexta-Feira, 22 de Junho de 2007 às 08:08

Amambai será contemplada com museu próprio

Sérgio da Luz

                Em um trabalho idealizado e desenvolvido pelo morador de 71 anos, nascido em Amambai Altomiro Pinto Sobrino o “seu Miro”, o museu em Amambai já começa a se tornar realidade, sua sede, doada há alguns meses pela Loja Maçônica Pedro Manvailer, passa atualmente por reformas. Está localizado na rua General Câmara, 1225, atrás da escola Felipe de Brum.

                Todo o material que será colocado à mostra faz parte do acervo pessoal de seu Miro, conta com aproximadamente 150 peças, grandes e pequenas, ele mesmo faz questão de destaca as principais  “tenho  entre várias outras uma prensa de tijolo,  a linotipo do Jornal A Gazeta, um púlpito que foi construído para a igreja Batista feita a mão e objetos pequenos tem uma coleção de peças de marcenaria,  cerâmica, utensílios diversos” disse.

                O trabalho realizado por seu Miro, para a recuperação da história de Amambai, começou por volta de 1961, quando cursava o ginásio, e a professora pediu, em um trabalho, que ele contasse a história de Amambai, o que se tornou uma tarefa difícil, pois não se encontrava material. Para realizar o trabalho passou a buscar informações no contato com antigos moradores, o qual passaram a doar materiais antigos, a partir de então seu Miro coleciona materiais antigos. Outro sonho que está em faze finais, é a publicação de um livro contando a história da cidade, o que já está em processo de correção, em Campo Grande.

                O salão tem  78 metros quadrados, com escritório, banheiros e locais onde será montada a sala de recuperação e manutenção das peças antigas. Quanto à previsão de inauguração “não posso dizer uma data porque depende da contribuição, mas quero ver se até o aniversário da cidade inauguro” disse Miro.

                Seu Miro ainda destaca a participação da sociedade para a criação do museu, na doação de matérias que possam contar um pouco da história “também haverá uma sessão de documentos da histórica de amambai e fotos antigas de fazendas, vestes, e famílias. A participação da população será fundamental para o enriquecimento do museu. Cada peça doada levará o nome da família que a doou”.

Fonte: A Gazeta News

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Cidade

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.