Gazeta de Amambaí


Terça-Feira, 29 de Janeiro de 2019 às 00:06

Manifesto contra a Energisa reuniu segmentos em Amambai

Abaixo-assinado que já no primeiro dia obteve mais de 2 mil assinaturas será levado ao Ministério Público e a ANEEL, segundo o prefeito Dr. Bandeira.

Clique na Imagem para ampliá-la

O prefeito de Amambai, Dr. Edinaldo Bandeira colou o ato de desagravo confeccionado pelo manifesto na porta do escritório da Energisa local. (Fotos: Vilson Nascimento)

Vilson Nascimento

Representantes do Poder Público e de vários segmentos da sociedade local participaram nessa segunda-feira, 28 de janeiro, de um manifesto contra a Energisa, em Amambai.

A manifestação que teve ponto de coleta de assinatura de abaixo-assinado, caminhada e ato de desagravo, teve por objetivo cobrar na concessionária, que tem o monopólio do fornecimento de energia elétrica em Amambai e na maioria do Estado, em Mato Grosso do Sul, resposta e solução em relação ao aumento, segundo a comunidade local, abusivo no valor da conta de luz cobrada da população, principalmente nos últimos dois meses, bem como maior eficácia em relação aos serviços prestados pela empresa em relação as frequentes quedas e oscilação de energia na cidade e na zona rural, a falta de ação da Energisa para solucionar o problema e na demora em dar resposta à demanda da sociedade local.

Durante todo o dia voluntários mantiveram na Praça Coronel Valêncio de Brum, a praça central da cidade, uma barraca para colher assinatura da população a um abaixo-assinado em protesto contra a empresa por conta dos problemas citados acima.

  O prefeito Dr. Edinaldo Bandeira lê o ato de desagravo que foi fixado no local

No final da tarde os manifestantes realizaram uma caminhada por um quarteirão em meio até a frente do escritório de atendimento da Energisa, em Amambai, onde foi realizado um ato de desagravo.

Durante o ato autoridades como vereadores e representantes da sociedade local, entre elas o presidente do Sindicato Rural de Amambai, Rodrigo Lorenzetti, o presidente do Clube do Laço União Amambaiense, Paulo Sérgio Gomes e o presidente do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) em Amambai, Humberto Vilhalva, fizeram uso da palavra.

  A presidente da Câmara, vereadora Janete Córdoba em sua fala durante o ato

A presidente da Câmara de Amambai, vereadora Janete Córdoba, que na semana passada esteve reunida com representantes da Energisa em Campo Grande cobrando, em nome da Câmara Municipal, respostas à indagação da população sobre as altas repentinas no valor das contas e saiu da reunião insatisfeita ao ter ouvido da empresa que não havia nada de errado e eram os moradores que estavam gastando mais energia, relatou inúmeros problemas que chegam a seu conhecimento trazido por moradores e defendeu inclusive a realização de uma audiência pública trazendo a Amambai diretores da empresa para debater a questão diretamente com a sociedade local.

        Fala do presidente do Sindicato Rural de Amambai Rodrigo Lorenzetti

O prefeito de Amambai, Edinaldo Luiz de Melo Bandeira, o “Dr. Bandeira”, de quem partiu a iniciativa do manifesto dessa segunda-feira (28) levando em consideração ao enorme número de reclamações por parte da população, leu um ato de desagravo em desfavor da Energisa e ao final colou o documento do ato público na porta do escritório da Energisa na cidade.

Ele ressaltou que a manifestação realizada nessa segunda-feira não foi um ato do Poder Público, mas de toda a sociedade amambaiense que está se sentindo lesada, segundo ele pelas cobranças abusivas e pelos serviços deficitários prestados pela Energisa em Amambai.

O prefeito ressaltou também que, de posse do abaixo-assinado cujas coletas permanecerão no decorrer da semana, mas só no primeiro dia já coletou mais de duas mil assinaturas, a Prefeitura de Amambai vai protocolar documentos junto ao Ministério Público Estadual em Amambai e a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) em Brasília pedindo providências  dos dois órgãos fiscalizadores em relação as cobranças para ele abusavas, na conta de energia e em relação aos serviços prestados pela Energisa em Amambai.

Além dos poderes, Executivo e Legislativo e das entidades já nominadas acima, o ato de desagravo também contou com a presença da ACIA (Associação Comercial e Empresarial de Amambai), representada pelo seu presidente, o empresário Clemente Martins Júnior, representantes de associações de bairros em Amambai e representantes de várias outras entidades de classe no município.

Fonte: A Gazeta News

Veja mais fotos:

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Cidade

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.