Gazeta de Amambaí


Quinta-Feira, 05 de Abril de 2018 às 17:11

Rede Estadual de Ensino de Amambai desenvolve ação enfocando o autismo

Clique na Imagem para ampliá-la

Foto: Assessoria

Dia 02 de abril é o dia da conscientização sobre o autismo, condição especificamente humana que afeta a percepção social e comunicação. Infelizmente, ainda falta conhecimento, reflexão e quebra de alguns paradigmas preconceituosos ou confusos. E um dos benefícios da conscientização é justamente a quebra desses estigmas. A data serve para lembrar à população que o autismo é um transtorno no desenvolvimento do cérebro, afeta cerca de 70 milhões de pessoas em todo o mundo e de que há estudantes em Amambai com essa especificidade. Não existe uma “receita” pronta para ensinar crianças e adolescentes com TEA.  (Transtorno de Espectro Autista).Hoje, os especialistas em educação já sabem: mesmo que duas pessoas apresentem o mesmo diagnóstico, elas podem reagir de modos diferentes a uma mesma proposta pedagógica. Por isso, o que funciona para um estudante com autismo pode não funcionar para outro, e por conta disso, é fundamental que haja uma busca constante no identificar, nas atuações metodológicas e no convívio com cada autista.

 Segundo a Técnica Estadual do NUESP- Jesudete Brum “É fundamental que haja um trabalho comprometido e em conjunto entre a escola e a família. O envolvimento das famílias é crucial para o desenvolvimento das pessoas com autismo e pode ser determinante no enfrentamento das barreiras sociais. A inclusão escolar não é apenas inserir o estudante com deficiência numa escola regular. Inclusão é possibilitar a aquisição de conhecimentos utilizando métodos que facilitem ou auxiliem suas limitações. O processo de inclusão requer amor, persistência e força de vontade para enfrentar desafios diários, os quais são muitos, no entanto, os resultados têm surtidos efeitos positivos.A rotina deve ser bem estruturada para que se aceite novos conhecimentos e desenvolva uma autonomia saudável. Dessa forma, o planejamento educacional é realizado individualmente, tanto nas salas de recurso multifuncional como nas salas comuns em forma de currículos adaptados e executados através de uma mediação por um professor de apoio, que priorize de fato uma aprendizagem significativa aos estudantes autistas, nossos anjos azuis. (Enfocando a cor azul que caracteriza o autismo). O trabalho com a Educação Especial será sempre um desafio, contudo, é um trabalho gratificante, pois, desenvolvemos dentro de nós uma maior afetividade, o cuidado e amor ao próximo, uma maior responsabilidade e comprometimento, além de ser uma atuação de eixo social onde se pode inserir, trazer à tona seres humanos com mais qualidade de vida e plenamente desenvolvidos em seus aspectos: Físicos, emocionais e sociais.

Dessa forma, o NUESP- Núcleo de Educação Especial Estadual em Amambai, através de seus profissionais, esteve realizando atividades práticas, lúdicas e artísticas na Sala de Recurso Multifuncional como receitas de bombom, de brinquedos como amoeba e cartazes criativos sobre o autismo, que já estavam planejadas para o primeiro bimestre de 2018. Dentro do cumprimento de ações de intervenções pedagógicas procuram estar sempre buscando mecanismos de aquisição de conhecimento científico junto a estudiosos no assunto, junto aos médicos dentro de cada especificidade, através de estudos, trocas de experiências entre a equipe docente e com todos os segmentos envolvidos, no acompanhamento prático junto ao estudante.

 No dia 04/04, as 19:00h, nas dependência da Escola Estadual Dr. Fernando C. Costa foi realizada uma noite de reflexão, estudo e devolução às famílias de como está sendo o trabalho didático pedagógico com os quatro autista atendidos pela Rede Estadual, com  o objetivo de oportunizar uma troca de experiências pedagógicas e um momento onde haja um encontro produtivo entre a família e os docentes responsáveis por esse trabalho. O evento contou com a presença da direção da escola, dos 22 professores que atendem na Educação Especial Estadual os 39 estudantes e a demanda dos 51 atendimentos educacionais especializados. As quatro professoras que trabalham junto aos estudantes autistas na rede estadual estiveram demonstrando em slides muito bem elaborados previamente, imagens e relatando a sua atuação pedagógica. Os familiares dos estudantes autistas também estiveram presentes no estudo interagindo e contribuindo imensamente com suas experiências. Em seguida foi realizada uma palestra de grande relevância pela Psicopedagoga Miriam Santana Fernandes, a qual esteve abordando aspectos relevantes dentro do autismo e trazendo uma orientação aos pais, professores e a todos os presentes de como proceder com o autista, de que o diagnóstico precoce e um atendimento adequado irão desenvolver o potencial emocional e cognitivo. Ao final do evento houve uma confraternização e a socialização entre todos os presentes com dinâmicas e sorteio de brindes.

Fonte: Assessoria

Veja mais fotos:

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Cidade

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.