Gazeta de Amambaí


Quarta-Feira, 08 de Novembro de 2017 às 09:48

Família precisa de ajuda urgente da sociedade em Amambai

São sete pessoas, entre elas duas crianças, vivendo em condições sub-humana em instalação abandonada pelo Estado na MS-485 na saída para Aral Moreira.

Clique na Imagem para ampliá-la

A família composta por sete membros, está vivendo em condições precária nestas instalações abandonadas pela Iagro as margens da MS-485. (Fotos: Vilson Nascimento)

Vilson Nascimento

Uma família de sete pessoas, entre elas duas crianças, está vivendo em condição considerada sub-humana e precisa da ajuda da sociedade, em Amambai.

Paulo Sérgio da Silva, de 30 anos, a esposa, as duas filhas, uma de 1,3 ano e outra de dois anos, a sogra e o sogro, estão residindo há dois meses em uma instalação abandonada pela Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), localizada às margens da Rodovia MS-485, trecho que liga Amambai a Aral Moreira, em frente a pista do Motoclube.

O local não tem água e nem energia elétrica. Para apanhar água para beber, cozinhar e tomar banho os membros da família tem que se deslocar por cerca de 800 metros até uma horta desativada.

Um morador da região teria se prontificado a ceder água, mas a família não tem dinheiro para comprar os cerca de 150 metros de mangueira necessários.

Também não a energia elétrica. Uma rede rebaixada passa próximo, mas não tem padrão, nem fiação para implantar uma rede elétrica na edificação.

O local, que foi construído pelo Governo do Estado para abrigar um posto na Iagro, mas nunca chegou a funcionar e foi totalmente depredado e saqueado ao longo do tempo, onde foram levados pia e vaso sanitário, por exemplo, conta com apenas com cobertura e dois cômodos pequenos.

Para cozinhar os moradores construíram uma cozinha improvisada com o emprego de madeira e pedaços de plástico aos fundos da edificação de tijolo, e construíram também um fogão a lenha. Eles até tem um fogão a gás, mas não tem o botijão, segundo a matriarca da família, Idê Gomes da Silva.

Família veio de sítio

Segundo Paulo Sérgio, que trabalha com serviços gerais e está à procura de emprego, eles residiam em um sítio localizado nas proximidades da aldeia Amambai, mas tiveram que se mudar, tendo em vista que os proprietários do sitio iriam se mudar para a área rural e ocupar a casa onde eles estavam residindo.

Toda a ajuda é bem vinda

A família precisa de praticamente tudo, desde alimentos, roupas e produtos de higiene pessoal, como outros tipos de materiais domésticos, principalmente.

Segundo a família o Conselho Tutelar dos Direitos da Criança e do Adolescente já esteve visitando a casa improvisada e informou que encaminharia um relatório pedindo uma visita da Assistência Social do município.

Procurada pela reportagem do A Gazetanews a secretária municipal de assistência social em Amambai, Eronildes Silveira Saldanha , a “Preta”, informou que a Prefeitura, por meio da Assistência Social e do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), já está acompanhando o caso.

Comovidas pela situação da família, um grupo de amigas que criaram, por meio de redes sociais, o grupo denominado “Acolhida dos Anjos”, fizeram uma campanha e arrecadaram um pouco de roupas e alimentos, mas as necessidades da família ainda são enormes.

Para realizar doações ou obter maiores informações sobre as necessidades da família a pessoa poderá falar com dona Idê pelo celular (67) 99621-5808. Não tem WhatsApp.

Fonte: A Gazeta News

Veja mais fotos:

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Cidade

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.