Gazeta de Amambaí

Quinta-Feira, 12 de Julho de 2018 às 06:02

No Paraguai, empresários tiram dúvidas sobre investimentos

Como parte da programação da missão empresarial organizada pela Fiesc com apoio da Fiems e do Sebrae/MS à Expo Paraguai, que começou na última segunda-feira (09/07) e segue até sexta-feira (13/07), em Assunção, o grupo composto por 81 empresários brasileiros, entre eles, 30 sul-mato-grossenses, visitou, ontem (10/07), o Ministério da Indústria e Comércio do país vizinho para conhecer as vantagens de investimentos e participou de uma rodada de negócios.

Segundo a gerente do CIN (Centro Internacional de Negócios) do IEL, Nathália Alves, durante a visita ao Ministério da Indústria e Comércio, os empresários puderam tirar dúvidas sobre a Lei da Maquila e como funciona o processo de instalação de uma indústria no Paraguai. “O objetivo maior é fomentar a relação comercial entre os dois países. Além disso, tivemos uma rodada de negócios com empresários brasileiros e paraguaios para compra e vende de produtos e serviços, que foi mais uma oportunidade de conhecer de perto o mercado paraguaio”, afirmou.

Na avaliação do superintende do Sebrae/MS, Cláudio Mendonça, as atividades propostas pela missão têm sido um grande sucesso. “A visita ao Ministério da Indústria e Comércio foi muito produtiva e esclarecedora sobre as vantagens de se investir no Paraguai e a rodada de negócios reforçou a importância da parceria entre Sebrae, Fiems e Rede CIN para conseguirmos estreitar os relacionamentos entre Mato Grosso do Sul e o país vizinho. Tenho conversado com os empresários e todos já fizeram bons contatos, com perspectiva de bons negócios”, destacou.

Para a diretora da Sigo Homeopatia Veterinária, Mônica Filomena Souza, a visita ao Ministério da Indústria e Comércio foi proveitosa para entender de fato o que o Paraguai oferece para negócios com o Brasil. “Percebi que o Paraguai é um país que colocou como meta essa questão do negócio internacional que me parece ser muito rentável para os dois países, principalmente para os brasileiros, que têm uma carga tributária altíssima”, comentou.

Ela ainda destacou que a rodada de negócios permitiu a realização de contatos com pecuaristas da região. “A expectativa da Sigo com a rodada de negócios e participação na missão comercial é fazer contatos com os futuros possíveis clientes, representantes, distribuidores, conhecer a Lei de Maquila e ver como funciona na prática a internacionalização ou usar dos mecanismos que o Paraguai oferece para se instalar aqui”, completou.

Já o empresário Paulo Henrique Gomes Antello e Silva, diretor da Natubom, disse estar satisfeito com os resultados obtidos já nos primeiros dias da missão comercial. “A missão está me possibilitando conhecer muitas pessoas do mercado local, me abrindo várias portas, principalmente a rodada de negócios. Inclusive já fui visitar algumas empresas que conheci por conta da rodada. Temos a expectativa de sair daqui com contatos que possam virar bons negócios”, avaliou. 

Fonte: Fiems
Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Notícia impressa em 22/07/2018 05:30:55 através da url: http://www.agazetanews.com.br/imprimir/136275