Gazeta de Amambaí

Quarta-Feira, 13 de Junho de 2018 às 19:39

SIG estoura “boca de fumo” na Vila Santo Antônio, em Amambai

No ponto de venda de drogas, que segundo a Polícia Civil era mantido por um casal, os policiais encontraram droga, dinheiro e vários objetos, supostamente produtos de furto.

A droga, o dinheiro e o material apreendido na residência e abaixo o casal acusado. A polícia suspeita que a maioria é produto de furto e foi trocado por droga na boca de fumo. (Fotos: A Gazetanews)

Vilson Nascimento

Ao desencadear operação visando elucidar crimes de furto ocorridos na cidade, o SIG (Setor de Investigação Geral) da Delegacia de Polícia Civil local desbaratou da segunda-feira, dia 11 de junho, um ponto de venda de drogas, em Amambai.

Segundo a Polícia Civil, a chamada “Boca do Márcio”, situada na Vila Santo Antônio, já vinha sendo monitorada pela equipe de investigadores a pelo menos 20 dias e a ação foi desencadeada nessa segunda-feira, tendo em vista que informações levantadas pelo SIG davam conta que uma solda elétrica e uma lixadeira furtada na cidade teriam sido repassadas ao dono do suposto ponto de venda de drogas, Márcio Chaves de Oliveira, de 30 anos.

De acordo com a Polícia Civil, durante a ação na residência do suspeito, além da furadeira e do aparelho de soltada, os policiais encontraram uma bicicleta furtada na semana passada no centro de Amambai, porções de crack já embaladas e prontas para serem entregues aos usuários, mais de R$ 200,00 em notas de pequeno valor e vários produtos, que segundo a polícia possivelmente foram furtados e trocados por droga na boca de fumo.

A esposa de Márcio Chaves, Suzana da Silva, de 32 anos, que segundo a polícia seria cúmplice do marido na atividade ilícita e estava na residência na hora da abordagem policial, foi presa e autuada em flagrante sob acusação de tráfico de drogas, associação para o tráfico e receptação. Submetida a audiência de custódia junto ao Poder Judiciário, em Amambai, ela teve a prisão mantida pelo juiz.

Já Márcio Chaves de Oliveira, que não foi encontrado pela polícia no ato da ação policial, foi indiciado em inquérito pelos mesmos crimes, segundo a Polícia Civil e o delegado responsável pelas investigações deverá representar pela sua prisão preventiva junto ao Poder Judiciário.

Fonte: A Gazeta News
Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Notícia impressa em 19/11/2018 22:59:54 através da url: http://www.agazetanews.com.br/imprimir/135412